CRIOPRESERVAÇÃO DE OÓCITOS (VITRIFICAÇÃO)

O oócito é a maior célula do corpo humano e quanto maior, mais difícil é a criopreservação, pois apresenta maior quantidade de água no interior da célula o que significa que se formarão cristais de gelo e estes cristais podem danificar a célula quando forem “descongeladas”.

A técnica mais adequada é conhecida como Vitrificação, pelo fato desta técnica não produzir cristais de gelo no momento da solidificação de oócitos no ultra-resfriamento em nitrogênio líquido, promovendo passagem ao estado de solidificação chamado de estado vítreo (glass-like).A criopreservação (“congelamento”) é uma técnica que consiste na conservação de células ou tecidos em nitrogênio líquido, ou seja, à temperatura de 196oC negativos.

Os oócitos são criopreservados por uma série de razões:dá à mulher a opção de usar uma pequena quantidade de oócitos durante um procedimento de fertilização in vitro e “guardar” os oócitos excedentes; a paciente não tem o risco de nascimentos múltiplos desnecessariamente. Pesquisas recentes mostram nenhum risco elevado de crianças que nascem com defeitos congênitos ou outras anormalidades, como resultado do congelamento de óvulos.

A palavra “congelamento” está relacionada à formação de gelo. Na Técnica de Vitrificação não há formação de cristais de gelo, logo quando usamos as palavras “congelar” e “descongelar” escrevemos entre aspas, onde cientificamente certo seria: vitrificação e desvitrificação.

O procedimento para criopreservaroócitosé simples, mas exige profissionaisespecializados e ambiente adequado para o armazenamento. Após exames de rotina, como o ultra-som e a dosagem hormonal, o especialista em Reprodução Humana avalia se a paciente tem condições de, futuramente, ser indicada para a fertilização in vitro (FIV).

A paciente que deseja criopreservar seus oócitos passa por todas as fases da fertilização in vitro, entretanto, estas fases são dividas em etapas, pois são interrompidas pelo processo da criopreservação.As fases da criopreservação envolvem a estimulação ovariana, retirada de oócitos, criopreservação dos oócitos, “descongelamento” dos oócitos, injeção intracitoplasmática de espermatozóides (ICSI) e posterior transferência de embriões.

Quando ocorre a retirada dos oócitos do ovário da paciente, estes passam por um processo de avaliação para saber qual o estágio de maturação destas células, que podem estar em:

  • estágios imaturos: Prófase I (presença de vesícula germinativa – VG) ou Metáfase I (ausência de VG e do primeiro corpúsculo polar - CP)

                       Prófase I                                             Metáfase I

  • estágio maduro: Metáfase II (presença do primeiro CP) que é a fase ideal para a criopreservação.

Metáfase II

 

Se os oócitos estiverem maduros, eles passam por um processo de estabilização com crioprotetores antes de serem colocados em nitrogênio líquido. Se estiverem imaturos, são colocados em meio de cultura especial para maturação e, após esta etapa, passam pela estabilização com crioprotetorese são colocados em nitrogênio líquido.

As indicações para esta técnica são:

1 - Pacientes que tiveram produção alta de oócitospodem  criopreservar para “descongelá-los” futuramente, obtendo novos embriões numa segunda tentativa de engravidar, evitando a criopreservação de embriões.

2 - Pacientes que queiram preservar sua fertilidade, “congelando” oócitospor que terá desubmeter à Quimioterapia ou Radioterapia Pélvica.

3 - Pacientes que têm antecedente familiar de Menopausa Precoce e estejamcom sinais indicativos de quepossamapresentar o risco familiar presente.

4 - Pacientes que têm a intenção de postergar sua gravidez para após os 35 anos, o que reduz enormemente a qualidade dosoócitos.

5 - Banco de óvulos: pacientes que tiveram produção alta de oócitosdurante o tratamento de Fertilização In Vitro e que jáengravidaram, e não querem mais os oócitos excedentes podem colaborar comoutras pacientes quenão mais produzem oócitos.

ACESSE NOSSAS REDES SOCIAIS